Notícias » Saúde

Jovem faz na Tailândia tratamento contra doença rara: 'Me sinto melhor'

10/02/2017 às 09:43

Autor: Do G1 MT
Fonte: g1.comMt

A jovem Lorena Santos, de 23 anos, que sofre de uma doença degenerativa, desembarcou no Brasil no último fim de semana após viagem para a Tailândia, onde começou a fazer um tratamento com células-tronco. Com o apoio da família, ela realizou campanha nas redes sociais, fez vaquinha online e promoveu um bazar beneficente para juntar dinheiro para a viagem. A síndrome de Machado Joseph, como é conhecida a doença que a atinge, causa perda nos movimentos e afeta a visão e a fala.

Apesar de todo o esforço com as campanhas, Lorena, que perdeu parte dos movimentos do corpo devido à doença, só conseguiu embarcar para Bangkok depois de a Justiça determinar que o estado custeasse o tratamento, orçado em R$ 175 mil.

Ela passou quase um mês no país durante essa primeira fase do tratamento. Lorena viajou acompanhada de um amigo no dia 8 de janeiro.

Segundo Gabriela dos Santos, irmã de Lorena, o tratamento é elaborado de acordo com a necessidade de cada paciente. “No caso dela foram seis aplicações de células-tronco, além de um rígido acompanhamento nutricional. Ela também tinha sessões de acupuntura, aquaterapia e fisioterapia”, explicou.

 

Em Cuiabá, Lorena continuará seguindo as recomendações médicas. Deve receber acompanhamento de uma fonoaudióloga, passar por sessões em câmera hiperbárica e precisa praticar exercícios físicos. Ela também deve continuar seguindo a dieta de restrição à lactose, carboidrato e açúcar.

Com expectiva de ter mais qualidade de vida e com planos futuros, Lorena pretende retornar os estudos. “Fiz um semestre de faculdade de estética, mas foi se tornando difícil. Devido à doença ser progressiva, eu sabia que não conseguiria exercer a profissão e acabei trancando, mas quero muito voltar a estudar", disse.

 

Os resultados do tratamento não serão percebidos de imediato, mas, segundo a irmã, os médicos tailandeses afirmaram que a jovem poderá voltar a andar sozinha em até seis meses.

"Senti pequenas melhorias e todos nós estamos muito felizes e gratos. Apesar do resultado não ser rápido, já me sinto melhor que antes do tratamento. Pretendo me sentir ainda melhor quando me adaptar ao fuso horário. Lá eram dez horas de diferença", contou Lorena.

Daqui a aproximadamente um ano, Lorena deve retornar à Tailândia para dar continuidade às aplicações de células-tronco, já que esse tipo de tratamento ainda não é oferecido no Brasil.

Maria Gabriela contou que toda a família está na torcida para que o tratamento seja aprovado no país, pois não sabem se a jovem terá a viagem custeada pelo estado novamente. "Isso daria condições de vida melhores não só para Lorena, mas também a todos os outros que sofrem com essa doença", contou a irmã.

A síndrome de Machado-Joseph não tem cura e geralmente surge na fase adulta. Ela atinge o sistema nervoso e a coordenação motora do paciente. A sensação de desequilíbrio é o sintoma mais comum. Quem tem a síndrome também perde a fala e tem a visão prejudicada.

O neurologista Wladimir Malheiros Corrêa, que atua em Cuiabá, afirmou que não é oferecido tratamento contra a síndrome no Brasil. "Não existe tratamento para essa doença no Brasil, então é necessário fazer viagens para o outros paises", reforçou.

Segundo ele, a síndrome pode passar por gerações e se manifestar em qualquer idade.

WEBMAIL

Coloque seu e-mail e senha para ter acesso ao webmail.

Enquete

O que você achou do nosso site? Dê sua opinião e nos ajude a melhorar nossa plataforma